4 filmes que você precisa ver do diretor Héctor Babenco

1062422

Em 22 de novembro de 1977 era lançado o filme LÚCIO FLÁVIO, O PASSAGEIRO DA AGONIA do diretor argentino Héctor Babenco. 40 anos se passaram e o cineasta, falecido em 2016, fez muitos outros sucessos que contribuíram muito para o crescimento do cinema nacional. Inclusive, quatro filmes dele aparecem na lista elaborada pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos. Para comemorar o quadragésimo aniversário do longa e reverenciar o trabalho deste grande diretor, nós da equipe do Prime, listamos outros filmes de Héctor Babenco que você não pode deixar de ver.

 

 

1. LÚCIO FLÁVIO, O PASSAGEIRO DA AGONIA (1977)011-lucio-flavio-580x313

Na década de 1960, surge um grupo de justiceiros que combatem crimes à margem da lei. Batizada de Esquadrão da Morte, a organização nasceu em um contexto onde vários bandidos se tornaram famosos. Entre estes, esteve Lúcio Flávio, um conhecido ladrão de bancos no Rio de Janeiro. Após ser preso algumas vezes, Lúcio Flávio deixou a capital carioca e foi para Belo Horizonte, com o objetivo de mudar de vida, no entanto, seu destino já estava traçado.

Eleito 78º melhor filme brasileiro de todos os tempos segundo a Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema), a história baseada em fatos reais trouxe no elenco Reginaldo Faria, Milton Gonçalves, Grande Otelo, Stepan Nercessian, entre outros. 

 

 

2. PIXOTE – A LEI DO MAIS FRACO (1980)

Pixote (Fernando Raal7uyqisd4nchyyi4ipbz6rhcgpmos da Silva) foi abandonado por seus pais e rouba para viver nas ruas. Ele já esteve internado em reformatórios e isto só ajudou na sua “educação”, pois conviveu com todo os tipos de criminosos e jovens delinquente. Ele sobrevive se tornando um pequeno traficante de drogas, cafetão e assassino, mesmo tendo apenas onze anos.

A produção, baseada no livro “Pixote – Infância dos Mortos”, de José Louzeiro, figura na 12ª posição do ranking da Abraccine. O longa também tem por traz uma triste história: Fernando Ramos da Silva, intérprete de Pixote, envolveu-se nocrime e acabou morto em um confronto com policiais em 1987.

 

 

3. O BEIJO DA MULHER ARANHA (1985)

o-beijo-da-mulher-aranhaEm uma prisão na América do Sul, dois prisioneiros dividem a mesma cela. Um é homossexual e está preso por comportamento imoral e o outro é um prisioneiro político. O primeiro, para fugir da triste realidade que o cerca, inventa filmes cheios de mistério e romance, mas o outro tenta se manter o mais politizado possível em relação ao momento que vive. Mas esta convivência faz com que os dois homens se compreendam e se respeitem.

A produção rendeu o prêmio do Oscar ao ator William M. Hurt que interpretava o protagonista e uma indicação ao diretor Héctor Babenco. Sônia braga também teve muito destaque conquistando a premiação de Melhor Atriz Coadjuvante no Globo de Ouro. O longa é o 61º melhor filme de todos os tempos, de acordo com a Abraccine.

 

 

carandiru4. CARANDIRU (2003)

Em 1989, Dráuzio Varella inicia um trabalho voluntário de atendimento de saúde, principalmente de prevenção e combate a AIDS, na então maior casa de detenção da América Latina, o Carandiru. Quando o médico começou a trabalhar na penitenciária, havia cerca de 7 mil detentos para pouco mais de 5 mil vagas. Em seu trabalho diário, Varella conheceu não apenas a rotina e os anseios dos presos, mas também as histórias de suas vidas.

Carandiru aparece na 95ª posição na lista de melhores filmes da Abraccine e traz no elenco mais uma vez o autor Milton Gonçalves que trabalhou com Babenco em “Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia” e o “Beijo da Mulher Aranha”.

 

Fonte: com informações do site AdoroCinema e Papo de Cinema

logo-prime